Bolsonaro ataca tentativa de Lula por acordo nuclear, o governo brasileiro tem procurado manter distância da crise entre EUA e Irã

Em 2010, o petista tentou costurar um acordo para permitir que Teerã tivesse acesso a urânio enriquecido.

Brasília — O presidente Jair Bolsonaro aproveitou a crise entre os Estados Unidos e o Irã para atacar a tentativa de costura de acordo pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2010, que visava permitir que Teerã tivesse acesso a urânio enriquecido para ser usado em um programa nuclear para fins pacíficos.

Em transmissão ao vivo feita em uma rede social nesta quarta-feira, Bolsonaro aparece assistindo na TV o pronunciamento do presidente dos EUA, Donald Trump, sobre o Irã e, após a fala de Trump, comenta a iniciativa diplomática do governo Lula com a Turquia em 2010.

“Muitos acham que o Brasil deve se omitir no tocante aos acontecimentos. Queira dizer apenas uma coisa. O senhor Luiz Inácio Lula da Silva, enquanto presidente da República, ele esteve no Irã. E lá defendeu que aquele regime pudesse enriquecer urânio acima de 20%, que seria para fim pacífico”, disse.

“Complementaria apenas com uma questão. Nós temos que seguir as nossas leis. Nós não podemos extrapolar. Mas acredito que a verdade tem que fazer parte do nosso dia a dia, porque nós queremos paz no mundo”, completou.

Em 2010, o Irã assinou um acordo nuclear proposto por Brasil e Turquia para enviar ao território turco urânio de baixo teor de enriquecimento em troca de receber urânio enriquecido em 20% do país. A iniciativa foi costurada entre Lula, o então presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, e o então primeiro-ministro e atual presidente turco, Tayyip Erdogan.

Para ser usado em armas nucleares, o urânio precisa estar enriquecido a um grau de 90%. Na ocasião, entretanto, potências ocidentais não apoiaram o acordo, que acabou não indo adiante.

Em nota, Lula disse que Bolsonaro mentiu e que o chamado Acordo de Teerã foi reconhecido pelo ex-presidente dos EUA, Barack Obama, como o que tinha as condições ideais.

“Isso jamais existiu”, afirma a nota em referência à declaração de Bolsonaro de que Lula defendia que o Irã pudesse enriquecer urânio acima de 20%. “A mentira, reproduzida pelos meios de comunicação, é facilmente desmascarada com uma simples busca no Google”, acrescenta a nota do petista.

Na rápida transmissão na rede social, Bolsonaro citou ainda a Constituição. “A República Federativa do Brasil rege-se nas suas relações internacionais pelos seguintes princípios: a defesa da paz e no repúdio ao terrorismo”. E concluiu: “Uma boa tarde a todos e que Deus abençoe o nosso Brasil.”

bolsonaro

Jair Bolsonaro: o governo brasileiro tem procurado manter uma certa distância da crise entre EUA e Irã (Adriano Machado/Reuters)

 

Fonte: Exame

Comentários no Facebook